...

terça-feira, junho 16, 2009

Extintores....

Há semanas a insistir na escola do meu filho e ultimamente na Junta de freguesia pela revisão dos extintores, hoje, depois da conversa com a educadora dele sobre alguns problemas da escola, decidi telefonar à Câmara Municipal e solicitar a revisão urgente dos extintores que deveriam ter sido já revistos até ao final de Março. E lá começa a transferência de chamada de gabinete em gabinete.... até que... alguém da divisão de educação me atende e após a conversa me diz que vai dar seguimento ao caso.
O facto de eles não terem sido revistos na data não quer dizer que não funcionem mas o certo é que não existe garantia de funcionamento. E depois? se acontece alguma desgraça quem vale pelos nossos filhos e pelos funcionários que lá estão? Eu não quero ninguém para assumir as responsabilidades se algum incidente acontecer (rezando para que não seja mais que um incidente...) , eu quero o meu filho em segurança!
Hoje até perguntei à educadora da possibilidade de eu levar os extintores para serem revistos (sinceramente eu até estou disposta a pagar), a resposta foi.... Não!
Entretanto entrou um pai que faz parte da Associação de pais e perguntei se a Associação de pais não poderia resolver a questão. A resposta da educadora foi... Não!
Cheguei a casa e pensei, ou telefono ou vou à Câmara, decidi telefonar. Se isto não estiver resolvido até ao final desta semana eu vou à Câmara e entrego um documento escrito!

4 comentários:

Dri Viaro disse...

Nossa está certissima, que absurdo né?
eles tem que resolver este problema já
bjs

Vanessa, Pedro e Karalyn disse...

Fazes bem, há que zelar pela segurança dos nossos filhos. Beijinhos deste lado do oceano!

Dri Viaro disse...

Boa tarde linda

bjsss

Ana Santos disse...

Olha a associação de pais pode interceder para resolverem esse assunto, contacta a Associação de Pais, digo isso porque sei de que falo, o meu marido é vice-presidente da Associação de pais da escola onde trabalho e tinha o meu filho lá.
Houve um derramamento de gás na escola, coisa bem grave, Associação de Pais encontrou muitos obstáculos por parte da escola para resolver o assunto, mas houve umas crianças que estiveram em risco de vida, só que não sabiam que era do gás e os pais não chegaram a apresentar queixa com medo de perderem o trabalho precário, pois era filha de uma funcionária contratada.
Recorre à Associação de Pais é para casos desses que eles existem.
Beijinhos,
Ana e seus tesourinhos